publicidade

Com Calleri e Galoppo, São Paulo investiu R$ 81 milhões em reforços no ano passado; veja balanço

Galoppo custou 4,5 milhões de dólares para o Tricolor — Foto: Divulgação

Durante o ano de 2022, o São Paulo gastou R$ 81 milhões em reforços para o time do ano passado e também para atletas que chegaram para 2023. O número consta no relatório de atividades da diretoria tricolor, ao qual o ge teve acesso, e que mostra detalhes do balanço financeiro apresentado ao Conselho Deliberativo na última segunda-feira.



Os mais de R$ 80 milhões investidos pelo São Paulo resultaram nas chegadas de Patrick, Nikão, Calleri (opção de compra), Galoppo, Felipe Alves, Wellington Rato e Rafael, além de empréstimos de Andrés Colorado, André Anderson, Ferrraresi, Bustos e Marcos Guilherme.


LEIA TAMBÉM: São Paulo negocia com ídolo do clube para contratar lateral do Guarani


Também entram na conta do clube para esse investimento as renovações de atletas como Igor Vinícius, Juan, Luciano, Diego Costa Moreira e Caio Matheus. O clube, no contexto geral, diminuiu a dívida para a casa dos R$ 586,5 milhões.

Deste grupo, alguns sequer estão mais no São Paulo, como Patrick e Nikão, transferidos para Atlético-MG e Cruzeiro, e Marcos Guilherme. Andrés Colorado e Bustos, emprestados, também deixaram o clube do Morumbi para a temporada de 2023.

Felipe Alves hoje é goleiro reserva, abrindo espaço para Rafael, o novo titular. Wellington Rato destacou-se na campanha do Paulistão, assim como Calleri, que segue como referência, e Galoppo, artilheiro na campanha do Estadual e atualmente se recuperando de lesão no joelho.

Diante deste contexto, o presidente Julio Casares não enxerga a necessidade de o clube ser mais assertivo no mercado, diante dos problemas financeiros e a política de saneamento de custos para redução de dívida.

– Acho que é do mercado. Você traz jogadores que naquele momento tiveram boa performance. Esse número de R$ 80 milhões é pequeno comparado a outros clubes. Quem tem dinheiro e saúde financeira é quem dá as cartas no mercado. Fizemos o possível dentro do que poderíamos trazer e chegamos a duas finais e semifinal da Copa do Brasil – comentou.

– Não fomos campeões, mas chegamos, fomos competitivos – acrescentou o dirigente.

Casares ainda cita os exemplos fora de campo para defender os movimentos de mercado do São Paulo no ano passado, que foram mais de R$ 30 mi superior na comparação com 2021 – R$ 49,5 mi na contratação de atletas no ano em que o time foi campeão do Paulistão.



– O Nikão, por exemplo, teve problemas de ordem física e particulares e acabou indo para o Cruzeiro, mas é bom jogador, estava no Athletico e foi campeão da Sul-Americana, sendo um jogador que todo time disputaria – acrescentou o dirigente. Patrick deixou boa performance. No âmbito geral foi bom. Tem erros, mas não são de avaliação, passa por adaptação, por exemplo – analisa.

– Às vezes você acerta 40% ou 50%, às vezes erra. Não considero erro de avaliação. Se não tiver paciência ou certeza de que aquele erro é insuperável, porque às vezes o jogador não se adapta, então é difícil corrigir. Temos feito o possível. Era fácil deixar o cheque em branco para a dívida passar de R$ 1 bilhão e tentar título, mas quase ganhamos dois títulos – defende Casares.

Calleri, Galoppo, São Paulo, investiu, milhões, reforços

VEJA TAMBÉM
- Vai sair? Titular comenta possibilidade de transferência para o Cruzeiro
- Zubeldía reconhece desempenho ruim, justifica time no banco e revela lesão
- Cuiabá surpreende, vence São Paulo e derruba invencibilidade de Zubeldía


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 2 0

Comentários (3)
28/03/2023 09:29:13 Marcondes Camargo

e pior é quê o técnico não gosta do galoppo, joga fora de posição e ainda sim joga de mais.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.