publicidade

O título é são-paulino

O título é são-paulino

São Paulo conquista a Copa do Brasil junto à sua torcida

25 2023 - 08h11
(atualizado às 08h11)
Compartilhar
Exibir comentários
(Photo by Ricardo Moreira/Getty Images)(Photo by Ricardo Moreira/Getty Images)

A espera acabou, após 15 anos sem grandes conquistas, o São Paulo alcança o único troféu que lhe faltava em uma partida complicadíssima, terminada em 1 a 1, contra o Flamengo , neste domingo (24), no Morumbi. Mas mais do que isso, o Tricolor Paulista presenteia uma torcida de postura nunca antes vista. Uma multidão de apaixonados, que a cada derrota, estreitava ainda mais os laços com o clube nesse período de seca, e que agora, foi coroada com a sua principal, e última, obsessão.

O São Paulo Futebol Clube e o seu povo, tornaram-se um só. Ontem, não foram somente os 11 jogadores em campo. Foram os mais de 63 mil torcedores nas arquibancadas, recorde de público no ano, e os 20 milhões de são-paulinos mundo à fora, forjados na dor, que se fizeram presentes em cada centímetro quadrado do Morumbi.

Notícias relacionadas
Dorival admite mágoa, mas nega espírito de revanche contra o Flamengo: "Muito chateado"
Escalação do São Paulo: Dorival define time para final da Copa do Brasil
Veja quanto o São Paulo vai receber pelo título da Copa do Brasil

+ Para saber tudo sobre o São Paulo , siga o Esporte News Mundo no Twitter , Facebook e Instagram

A faixa de campeão pertence a todos que construíram este clube.

Desde os torcedores da década de 60, que doaram sacos de areia e de cimento para a construção do estádio, até a nova geração, que carregou a instituição no colo em 2013, 2017 e 2021 para evitar o rebaixamento.

Pertence também aos ídolos do passado, os edificadores da história.

Pois se hoje o São Paulo pode carregar a honraria de ser 'O Campeão de Tudo', é porque um dia, o mestre, Telê Santana, tentou alcançar a perfeição.

É porque, Rogério Ceni, determinado, se propôs a furar a barreira da lógica e numa final de Mundial, transformou-se em semideus.

É porque Muricy, mesmo adoecido, acordou cedo todos os dias, olhou no espelho e sem titubear, repetiu silenciosamente: 'Aqui é trabalho, meu filho'.

É porque contra o Barcelona de Johan Cruijff, 'Raí, rolou para Cafu, que rolou para Raí, pro gol, e que gol!'

É como se o Rafinha tivesse erguido a taça como se erguesse uma pena. Pois a levantou com a ajuda de toda uma nação tricolor.

Se o campeão voltou e veio para ficar, não sabemos. Mas podemos afirmar, aonde quer que ele vá, a 'torcida que conduz' estará ao seu lado.

E nada mais simbólico que o gol do título ser de Rodrigo Nestor, um torcedor são-paulino formado em Cotia.

+ Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Compartilhar

VEJA TAMBÉM
- Vai sair? Titular comenta possibilidade de transferência para o Cruzeiro
- Zubeldía reconhece desempenho ruim, justifica time no banco e revela lesão
- Cuiabá surpreende, vence São Paulo e derruba invencibilidade de Zubeldía


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 11 0

Comentários (1)
25/09/2023 10:40:17 Helton Hebert

arrepiante essa matéria

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.