publicidade

Presidente do São Paulo, Julio Casares explica à ESPN por que não teme perder Dorival Júnior para a seleção brasileira

Presidente do São Paulo concedeu entrevista à ESPN e descartou a possibilidade de…

Julio Casares, presidente do São Paulo, corroborou as falas do técnico Dorival Jr. e foi mais um a negar uma possibilidade do atual comandante do Tricolor ocupar a vaga deixada por Tite na seleção brasileira. Na última quinta-feira (8), o treinador tratou de negar que tenha sido procurado ou recebido qualquer contato da CBF.

"Como o técnico já disse, ele jamais foi contatado e nós também não. Não fomos consultados. A CBF tem sua autonomia e zelo pelos clubes que são filiados à CBF. O Dorival é a vinda de um treinador cujo planejamento é de algo a longo prazo", iniciou o presidente do São Paulo em entrevista ao repórter Eduardo Affonso, dos canais Disney.

"(Temos um) contrato de dois anos, no mínimo, para que ele estabeleça um planejamento junto com a gente. Eu escuto e acredito que é a vertente que eu tenho que acreditar, que a CBF procura um estrangeiro, declarou isso, presidente falou que está lutando, não jogou a toalha. Acredito que esse conceito de um estrangeiro é o que está permeando nossa tranquilidade".

No início da semana, Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, disse que "ainda não jogou a toalha" por Carlo Ancelotti e deverá insistir em contar com o italiano no comando da seleção, mesmo que ele próprio, além de Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, garantirem uma sequência do trabalho na Espanha.

Ainda de acordo com apuração da ESPN, os nomes tidos pela CBF como opções viáveis caso Ancelotti de fato não aceite a proposta são Abel Ferreira, do Palmeiras, Fernando Diniz, do Fluminense, e Jorge Jesus, que atualmente está no Fenerbahçe, da Turquia.

Relacionado

Dorival desmente convite para assumir seleção brasileira e foca no São Paulo: "Não existe nada, é tudo fictício"

Por fim, Casares reiterou que o São Paulo está tranquilo em relação ao tema e pensa em seguir com Dorival até o final do contrato entre as partes.

"É uma questão profissional de qualquer pessoa. Você não pode ir acima da lei ou um contrato leonino. O profissional tem que ter essa garantia. Nós não temos. Temos previsões pecuniárias dentro do contrato de uma relação bilateral. É o caso em que o São Paulo tem essa tranquilidade, porque como filiado da CBF, o São Paulo só falaria a respeito se fosse consultado. Nem nós fomos, nem o profissional".

"O trabalho segue com expectativa de que a CBF caminhe no seu conceito de tentar trazer um técnico estrangeiro, e nós fazendo um planejamento no longo prazo com o Dorival", finalizou.

Próximos jogos do São Paulo

Palmeiras (C) - 11/6, 16h - Brasileirão

Athletico-PR (C) - 21/6, 19h - Brasileirão

Cruzeiro (F) - 24/6, 21h - Brasileirão


VEJA TAMBÉM
- OUTRA DERROTA! São Paulo atua mal outra vez e é goleado pelo Vasco em São Januário
- Provávele escalação do São Paulo para enfrentar o Vasco no Brasileirão
- PRÓXIMO CONFRONTO! Veja o histórico do confronto entre Vasco e São Paulo


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 23 2

Comentários (2)
09/06/2023 23:17:15 joel eugenio

Dorival fica se for loko sao 2 milhoes por mes ou mais , acredito se a CBF chamar ele nao vai penssar 2 vezes

09/06/2023 19:42:09 Brulu

Assim espero!
Agora que o time está finalmente organizado não podemos perder o Dorival.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.