Veja por que a Argentina enxerga Calleri cada vez maior no SP e menor na seleção

Calleri comemora gol marcado de pênalti para o São Paulo na partida contra o Cuiabá, válida pelo Campeonato Brasileiro (Imagem: Marcello Zambrana/AGIF)

Vivendo seu auge no São Paulo e exibindo a melhor média de gols de carreira, o centroavante Jonathan Calleri tem seu desempenho acompanhado praticamente em tempo real na Argentina. O motivo? O futebol jogado hoje no Brasil tem sido visto como nunca em seu país.



Quem ouve os jogos argentinos nas rádios La Red e Mitre, as duas maiores de Buenos Aires, fica sabendo do andamento também das principais partidas do Brasileirão. O mesmo acontece com os portais esportivos do país. Assim que um gol de Calleri ou de algum outro argentino (como Zaracho, Nacho Fernández ou Silvio Romero) acaba de acontecer, o vídeo pouco depois ocupa o respectivo espaço, por exemplo, no site do "Olé", o principal jornal esportivo do país.


LEIA TAMBÉM: Oitavas de final da Sul-Americana 2022: veja times já classificados e a data do sorteio


Há uma interessante simetria também entre esses quatro exemplos. Enquanto Calleri deixou saudades no Boca, o mesmo pode ser dito de Nacho no River, Zaracho no Racing e Silvio Romero, vá lá, no Independiente.

Falando de Rogério e Corinthians em Buenos Aires
Na versão impressa do "Olé" também há um espaço fixo para o Brasileirão, dividindo espaço com ligas seguidas na Argentina há muitos anos como o Campeonato Uruguaio, Chileno e Mexicano.

O crescente interesse do Brasileirão é percebido também nos programas de debates como o F90, da ESPN, na hora do almoço, com comentários corretos e pertinentes sobre o Brasileirão, que é transmitido na Argentina justamente pela emissora.

É por isso também que Calleri tem grande espaço nos programas especializados, fazendo da sua boa fase no São Paulo um assunto frequente nas rodas (e redes) de entendidos de futebol.

Tanto foi assim que o são-paulino participou de longos bate-papos na ESPN, TNT e no canal de TV especializado TyC Sports no começo do Brasileirão.

À ESPN, Calleri disse que Rogério Ceni era um dos melhores treinadores com o qual trabalhou, e ainda projetou um Corinthians forte tanto no Brasileirão quanto na Libertadores, fala resgatada pela emissora na apresentação dos jogos do Alvinegro contra o Boca.

Longe da azul e branca
Calleri começou a despontar no Boca Juniors em 2014, quando o técnico da seleção argentina era Tata Martino. Vieram depois outros três treinadores: Patón Bauza, Jorge Sampaoli e o atual Lionel Scaloni. E o hoje são-paulino jamais teve uma chance na seleção principal. Seu desempenho na seleção olímpica que disputou os Jogos de 2016 no Rio tampouco foi positivo: nas três partidas que atuou, marcou um único gol e a seleção foi embora na primeira fase, algo sempre lembrado nas reminiscências portenhas da sua carreira.

Uma das razões de Calleri sumir do radar da seleção argentina tem a ver com a sua carreira "giratória" desde a saída do São Paulo, ainda naquele 2016.

Ele defendeu a seguir cinco clubes em cinco temporadas, e nenhum de expressão: primeiro, o West Ham, da Inglaterra, e depois os espanhóis Las Palmas, Alavés, Espanyol e Osasuna.

A ótima fase no São Paulo, porém, não traz motivos para imaginar uma convocação sua na seleção de Lionel Scaloni nos próximos meses, nem nos próximos anos.

A Argentina se caracteriza pela qualidade de seus atacantes, e um simples repasse nos nomes que ocuparam o setor na seleção desde a estreia de Calleri dão conta de como ele realmente tem uma concorrência das mais pesadas.

Em 2014, ano da Copa do Mundo do Brasil, a Argentina ainda apostava suas fichas no "quadrado mágico" Lionel Messi, Ángel Di María, Gonzalo Higuaín e Sergio Agüero.

Agora, às vésperas de mais uma Copa, os remanescentes Messi e Di María ganharam a companhia de Lo Celso na armação e Lautaro Martínez na finalização.

Mesmo entre os reservas o que não falta é jogador bom.

No Mundial de Brasil, dois nomes que saíram do banco foram Rodrigo Palacios e Ezequiel Lavezzi. Agora, Nico González, Julián Álvarez, Ángel Correa e Joaquín Correa vêm fixos nas listas de Scaloni, que também já traçam uma rota definida de renovação abrindo mão até de gente do naipe de Lucas Alario, Mauro Icardi e Paulo Dybala.

Mesmo sem considerar os "sparrings", como são chamados os juvenis tradicionalmente chamados pela seleção, Scaloni prefere centrar seus convocados todos na Europa - e há atacantes na fila como Lucas Boyé e Giovanni Simeone.



Não que os atletas do futebol brasileiro estejam totalmente fora da lista de Scaloni. O zagueiro gremista Kannemann, por exemplo, teve suas chances. Mas do meio para a frente não há mesmo como imaginar algum nome do Brasileirão no Qatar.

A idade também é um obstáculo. Calleri está com 28 anos, e Nacho Fernández tem 32. Zaracho, hoje com 24, talvez consiga espaço depois da Copa do Mundo no "novo processo" da seleção.

Calleri tem passaporte italiano desde 2016. Sem presenças na seleção argentina adulta, sua convocação para a Azzurra nem seria das mais chocantes. Ele, porém, nem quer saber da possibilidade: "Meu sonho desde criança é a seleção argentina", disse à TNT em março, ao descartar qualquer chance de repetir os exemplos dos compatriotas "Loco" Osvaldo e Camoranesi (que então já atuavam na Itália).

Argentina, enxerga, Calleri, maior, SP, seleção

VEJA TAMBÉM
- São Paulo se reapresenta no CT após Majestoso e com desfalque de laterais; confira
- Caio Paulista é apresentado, cita Diniz e revela ligação de Ceni antes de acerto com São Paulo
- Erison no São Paulo: negócio terá perdão de parte de dívida do Botafogo como pagamento


CONFIRA:Clube da Premier League tem negociações avançadas por cria do São Paulo; Tricolor pode faturar 'bolada'

VEJA TAMBÉM:Erro de planejamento? Ceni manda a real e admite equívoco da diretoria após derrota em clássico

E MAIS:São Paulo monitora zagueiro do Porto que passou por Grêmio, Vasco e Fluminense para reforçar elenco

Avalie esta notícia: 4 1

Comentários (2)

20/05/2022 10:53:32 Sergio Gandini

Deixem o Calleri quietinho no Morumbi.

20/05/2022 10:47:34 Framar Dos Santos

Argentina tem muintos 9 top aq no brasil talvez já teria cido chamado pelo o tite não temos 9 daria certo aq

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.
  • + Comentadas Fórum

  • publicidade
  • Fórum

  • Próximo jogo - Paulista

    Dom - 16:00 - Bruno José Daniel -
    Santo André
    Santo André
    São Paulo
    São Paulo

    Último jogo - Paulista

    Dom - 18:30 -
    images/icon-spfc.png
    São Paulo
    1 2
    X
    Corinthians
    Corinthians
    Calendário Completo
  • publicidade
  • + Lidas

  • publicidade
  • Untitled Document
    Classificação
    1 Palmeiras
    2 Internacional
    3 Fluminense
    4 Corinthians
    5 Flamengo
    6 Atletico Paranaense
    7 Atletico-MG
    8 Fortaleza EC
    9 São Paulo
    10 America Mineiro
    11 Botafogo
    12 Santos
    13 Goiás
    14 RB Bragantino
    15 Coritiba
    16 Cuiaba
    17 Ceará
    18 Atletico Goianiense
    19 Avai
    20 Juventude
    P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
    81 38 23 12 3 66 27 39 VVEVD
    73 38 20 13 5 58 31 27 VDVVV
    70 38 21 7 10 63 41 22 VVVVV
    65 38 18 11 9 44 36 8 EVVED
    62 38 18 8 12 60 39 21 VDDED
    58 38 16 10 12 48 48 0 DVDEV
    58 38 15 13 10 45 37 8 VEDVV
    55 38 15 10 13 46 39 7 VDEVV
    54 38 13 15 10 55 42 13 VEDDV
    53 38 15 8 15 40 40 0 EVVDE
    53 38 15 8 15 41 43 -2 VDVVD
    47 38 12 11 15 44 41 3 DVEDD
    46 38 11 13 14 40 53 -13 EDVDD
    44 38 11 11 16 49 59 -10 DVDDD
    42 38 12 6 20 39 60 -21 DVVED
    41 38 10 11 17 31 42 -11 VVEDV
    37 38 7 16 15 34 41 -7 DDDDV
    36 38 8 12 18 39 57 -18 DDEEE
    35 38 9 8 21 34 60 -26 DDEVV
    22 38 3 13 22 29 69 -40 DDDED
    Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
    vitoria empate derrota
01/02/2023 16:47:43