Últimas Notícias

Amauri quer completar "conto de fadas" no São Paulo

No Chievo, em 2005, Amauri pela primeira vez fez sucesso no futebol italiano

Início tardio e sem passagem por categorias de base. A carreira de Amauri tinha tudo para dar errado. Mas após oito anos na Itália, o atacante que sempre se imaginou vestindo a camisa nove do São Paulo já sente segurança em afirmar que pode completar uma passagem pelo futebol perto do que considera perfeito.

Para um são-paulino roxo, nada seria mais apropriado do que começar e terminar a sua trajetória no Morumbi. Mas a primeira parte falhou. Até os 19 anos de idade, o máximo que Amauri conseguia fazer era pular de teste em teste em clubes paulistas, sempre com um resultado que diminuía a sua esperança de explodir no futebol.

Na infância, as primeiras memórias de Amauri remetem à rivalidade em casa. A mãe, Janete Oliveira, não conseguiu fazer o filho corintiano e teve até que mandar o filho deixar a sala durante um jogo. "Só porque eu gritei gol do Palmeiras contra o Corinthians", relembra o atacante, que provocava a mãe até quando o seu São Paulo não estava em campo.

Nos gramados de Carapicuíba, cidade da Grande São Paulo onde nasceu, Amauri dava seus primeiros chutes no clube amador Planalto. Chamava a atenção pela seriedade em campo, parecida com a de seu ídolo Raí, mas as alegrias no futebol ficavam restritas ao seu time de coração.

Em casa, a vida era apertada, com o pai Sebastião Oliveira precisando se desdobrar como motorista para sustentar uma família de cinco pessoas - Amauri tem duas irmãs. Aos 16 anos, passou por uma crise e pensou em parar a carreira. Ou melhor, de tentar a carreira.

"Ainda não tinha jogado em nenhum clube, nem passado por juniores e mirim. Tinha uma idade que se você não jogou em lugar nenhum lugar, dificilmente as coisas poderiam dar certo. Vendo a dificuldade em casa, não podia permitir que meu pai tivesse que me manter também", lembra.

Chorou o dia inteiro, foi incentivado pela mãe a continuar apenas com o esporte, mas passou a trabalhar meio período. Foi ajudante de pedreiro, estoquista de supermercado e auxiliar em uma carvoaria. O futebol ficou em segundo plano.

Ainda continuava batendo bola no Planalto e a tão sonhada oportunidade apareceu por intermédio do ex-jogador do Palmeiras Leivinha. Em 1999, já com 19 anos, se profissionalizou no clube Santa Catarina e fez sucesso. Oito gols em 14 jogos da Série B catarinense e uma excursão do clube pela Europa mudariam seu rumo.

Bastaram alguns lances e o Napoli se interessou pelo jovem de estilo europeu, que de tamanha seriedade em campo nem comemorava muito os gols. Acabou emprestado para o suíço Bellinzona, mas voltou ao clube do sul da Itália no mesmo ano. Sorte igual à de Roni e Cristiano, que também foram diretamente do Santa Catarina para a Europa

Jogou ao lado de Edmundo no Napoli, mas na metade de 2001 foi para o Piacenza. Ficou um ano e meio no clube, em seu momento mais difícil na Itália. "O treinador (Walter Novellino) não me colocava para jogar. Agora ele está no Torino e dá declarações que quer um jogador como o Amauri", conta.

Ainda passou pelo Messina, antes de chegar ao Chievo, primeiro clube no qual fez sucesso. Já neste momento, se distanciou de Roni e Cristiano, que tiveram caminhos bem diferentes depois da chegada à Itália: o primeiro teve como último time o Mirassol e o segundo encerrou a carreira sem fazer sucesso.

Depois de três anos no Chievo, a carreira de Amauri decolou de vez no Palermo. Gols e mais gols deixaram equipes de toda a Europa interessadas no jogador, que na metade de 2008 finalmente chegou a um clube de ponta, a Juventus de Turim, time pelo qual marcou 13 gols em 23 jogos na atual temporada.

No futuro próximo, a Europa segue como prioridade. Mas se o São Paulo aparecer no caminho... "Quero vestir a camisa do São Paulo para falar que foi uma carreira perfeita. Seria o máximo", diz, para tristeza de sua mãe. "Ela disse que não vai morrer antes de me ver com a camisa do Corinthians. Mas essa satisfação eu não vou dar".

Enquanto não veste a camisa são-paulina, Amauri tem momentos de dupla felicidade, como no dia 7 de dezembro de 2008. Nesta data, o São Paulo foi hexacampeão brasileiro e o atacante marcou um gol contra a Lecce no Campeonato Italiano. "Fiquei duas vezes feliz". Só ficaria mais se já estivesse jogando pelo São Paulo.

VEJA TAMBÉM
- São Paulo recusa oferta da Europa por Welington e estabelece condições, revela jornalista
- Após pressão e atuações ruins, Orejuela não deve mais jogar pelo São Paulo, diz jornalista
- Escalação do São Paulo: Arboleda não treina, e Orejuela pode jogar


CONFIRA:Clube da Premier League tem negociações avançadas por cria do São Paulo; Tricolor pode faturar 'bolada'

VEJA TAMBÉM:Novo reforço do São Paulo, Erison não revela metas para a temporada e explica motivo

E MAIS:Por R$ 140 milhões: jornalista revela jogadores a serem negociados para atingir meta do São Paulo

Avalie esta notícia: 19 6

Comentários (3)

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.
  • + Comentadas Fórum

  • publicidade
  • Fórum

  • Próximo jogo - Paulista

    Dom - 16:00 - Bruno José Daniel -
    Santo André
    Santo André
    São Paulo
    São Paulo

    Último jogo - Paulista

    Dom - 18:30 -
    images/icon-spfc.png
    São Paulo
    1 2
    X
    Corinthians
    Corinthians
    Calendário Completo
  • publicidade
  • + Lidas

  • publicidade
  • Untitled Document
    Classificação
    1 Palmeiras
    2 Internacional
    3 Fluminense
    4 Corinthians
    5 Flamengo
    6 Atletico Paranaense
    7 Atletico-MG
    8 Fortaleza EC
    9 São Paulo
    10 America Mineiro
    11 Botafogo
    12 Santos
    13 Goiás
    14 RB Bragantino
    15 Coritiba
    16 Cuiaba
    17 Ceará
    18 Atletico Goianiense
    19 Avai
    20 Juventude
    P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
    81 38 23 12 3 66 27 39 VVEVD
    73 38 20 13 5 58 31 27 VDVVV
    70 38 21 7 10 63 41 22 VVVVV
    65 38 18 11 9 44 36 8 EVVED
    62 38 18 8 12 60 39 21 VDDED
    58 38 16 10 12 48 48 0 DVDEV
    58 38 15 13 10 45 37 8 VEDVV
    55 38 15 10 13 46 39 7 VDEVV
    54 38 13 15 10 55 42 13 VEDDV
    53 38 15 8 15 40 40 0 EVVDE
    53 38 15 8 15 41 43 -2 VDVVD
    47 38 12 11 15 44 41 3 DVEDD
    46 38 11 13 14 40 53 -13 EDVDD
    44 38 11 11 16 49 59 -10 DVDDD
    42 38 12 6 20 39 60 -21 DVVED
    41 38 10 11 17 31 42 -11 VVEDV
    37 38 7 16 15 34 41 -7 DDDDV
    36 38 8 12 18 39 57 -18 DDEEE
    35 38 9 8 21 34 60 -26 DDEVV
    22 38 3 13 22 29 69 -40 DDDED
    Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
    vitoria empate derrota
04/02/2023 05:32:40