por Wender


A “padaria” do Juvenal Juvêncio. O reflexo do fiasco

Por wenderpeixoto   27/Dez/2013 19:48 1033 70,6% 29,4%


 

O sujeito tem uma padaria grande de sucesso em um ponto excelente. Próximo ao local vem um concorrente e monta uma padaria menor, uma padariazinha. O dono da padaria grande olha com desdém e diz:

- Ah, esse aí vai competir comigo? Imagina...

Aquele insignificante concorrente frequenta a padaria grande. Ele compra pão, toma café e observa todos os detalhes. Vendo o que não é bom, começa a fazer melhor na padaria menor, mas, ao mesmo tempo copia o que funciona. Em pouco tempo, alguns fregueses começam a frequentar a padaria menor. Entretanto, o dono da padaria grande despreza os sinais.

- Imagina aquelezinho, acha que vai tomar a minha freguesia...

As vendas de pães vão caindo aos poucos na padaria grande. O dono nota e discute com o padeiro, dizendo-lhe que os fregueses não estão mais gostando do pão. Ele acha que o pão era bom por causa da padaria e não pelo talento do padeiro que, na visão dele, estava fazendo um pão ruim. O padeiro é demitido.

O dono da padaria grande pensa: “vou contratar um padeiro com salário menor e vou fazer pães ainda melhores, porque aqui o pão é gostoso por causa da padaria!”. Ele contrata outro padeiro que não tem o mesmo talento do primeiro.

Aquele padeiro demitido foi trabalhar na padaria pequena, aquela insignificante concorrente. O sucesso é imediato e começa-se a vender pães e mais pães. Mais e mais fregueses vão chegando e gostando.

Diante do sucesso nas vendas, o dono da padaria pequena compra o terreno ao lado e amplia o espaço. Passa-se algum tempo e aquela padaria menor já tem mais clientes que a padaria maior. Então, o dono da padaria maior olha e diz, fazendo pouco caso:

- Eles irão quebrar. Eles não sabem de nada. Tenho muitos anos de sucesso no ramo...

A freguesia da padaria maior vai caindo, caindo... Mas o velho dono não aceita que está errado. Com o orgulho ferido e os prejuízos, começa a trocar constantemente os funcionários, culpando-os. Ele contrata profissionais de qualidade duvidosa e baratos, sempre acreditando na estrutura de sua padaria. Cada vez mais, a padaria grande fica defasada e perde credibilidade com a clientela. Daquela grande padaria, permaneceu somente a fama.

Clube de futebol não é diferente de comércio. Deve-se sempre estar atento aos concorrentes, a novos procedimentos. Sempre saber que estão opiando o sucesso. Os melhores profissionais devem ser mantidos e a inovação nunca pode parar. O que é bom sempre será copiado e sempre será assim. A soberba causa paralisia.

O São Paulo era admirado pelo bem feito. De repente, o orgulho tomou a todos. Começou a se perder quando achou que era soberano. O Clube criou uma couraça de arrogância, isolamento, brigas com todos. A diretoria atual fomentou um clima de antipatia geral. Todos pararam de evoluir. Há quatro anos eles (estes) reverteram o progresso de um clube vencedor que passou a ser perdedor.

P.S. O CFA Cotia foi uma idealização de Marcelo Portugal Golvea, iniciado na gestão dele e inaugurado em 2005. Juvenal Juvêncio concluiu o projeto. Importante esclarecer essa informação, pois os ferrenhos defensores dizem que o CFA Cotia foi feito pelo JJ.

Peixoto




Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!.

Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.