por Wender


Freidenreich, o soldado tricolor na Revolução de 1932. Inspiração a nós tricolores.

Por wenderpeixoto   10/Jul/2013 04:18 521 73,8% 26,2%


9 de julho, uma data importante na memória do povo paulista. O governo central queria reduzir a autonomia dos estados, ferindo a constituição. Tal fato causou revolta. Faria e Freidenreich (foto), dois dos jogadores do São Paulo Futebol Clube, se alistaram e lutaram na Revolução de 1932, quando o estado de São Paulo se opôs à ditadura Vargas.

Se, em 1932 vivíamos uma ditadura, 2013 não é diferente. O governo nos enforca com pesados impostos, inflação, início do aumento no desemprego. Enfim, a ditadura dos péssimos serviços públicos que nos obrigam a pagar, do próprio bolso, por serviços que deveríamos receber por direito. Em 2013 o governo também tenta ferir a constituição com propostas suspeitas de reforma política.

Mas, aqui vamos falar de futebol. Temos uma ditadura imperando no São Paulo. Uma gestão de escolhas e decisões erradas, que obrigam o torcedor a engolir sapos, derrotas, vergonhas. Vemos uma ditadura que rasgou a constituição do clube (estatuto). Uma ditadura que ignora a vontade do torcedor (fundamentada) sobre a contratação de um técnico competente. Uma ditadura que tortura os torcedores com péssimas contratações, derrotas e eliminações.

Assim como o herói Arthur Freidenreich teve a iniciativa e coragem de liderar um batalhão de 3.000 homens contra o poderoso exército brasileiro, também somos combatentes tricolores. Precisamos nos inspirar em Freidenreich e ter a força para lutarmos por um clube melhor, digno de sua tradição e história. Afinal, a ditadura atual já pensa se perpetuar em 2014.

Sds.
Peixoto.


Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro!.

Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.